A Gestão do Conhecimento, em inglês, Knowledge Management, é uma disciplina que auxilia empresas e/ou pessoas a compartilhar e administrar o conhecimento. Esse conceito surgiu com a contribuição de vários pesquisadores, no Japão por Ikujiro Nonaka e Hirotaka Takeuchi, nos EUA por Tomas Davenport e na Suécia por Karl Sveiby e começou a fazer parte do novo conjunto de estratégias utilizadas pelas empresas.

No início dos anos 90, esse conceito foi ganhando impulso e fazendo parte dos novos modelos de gestão. Apesar do modelo japonês ser um pouco diferente dos outros países, ele vem sendo reformulado e adaptado para a realidade de países como os EUA. No Brasil, esse conceito começa a se espalhar nas grandes organizações, inclusive em empresas públicas e também, associações, como a Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento, fundada em 2001.

De acordo com Peter Drucker (*1909 +2005), filósofo e economista austríaco, considerado o pai da administração moderna, existe um conceito que define a atual sociedade do conhecimento:

“A sociedade do conhecimento é a primeira sociedade humana onde o crescimento é potencialmente ilimitado. O conhecimento difere de todos os outros meios de produção, uma vez que não pode ser herdado ou concedido. Ele tem que ser adquirido por cada indivíduo e todos começam com a mesma e total ignorância.”

Com base no conceito acima, a sociedade atual é chamada de Sociedade do Conhecimento ou da Informação. Nela, inúmeros dados são transformados e manipulados para que o indivíduo possa assimilar e utilizá-lo de maneira rápida e prática. Mas, vamos partir da ideia de que todo conhecimento precisa ser adquirido e que não nascemos sabendo de tudo.

Para entender completamente a Gestão do Conhecimento, é preciso definir os seguintes conceitos:

  • Dado: podem ser registros de transações, números, gráficos, a matéria prima para a produção da informação. Ex.: textos, imagens, códigos, documentos, etc.
  • Informação:São dados interpretados, dotados de relevância e propósito.” Peter Drucker. Ex.: pode ser um conjunto de dados organizados e compreensíveis.
  • Conhecimento: segundo Nonaka e Takeuchi, “o conhecimento, ao contrário da informação, diz respeito a crenças e compromissos. O conhecimento é uma função de uma atitude, perspectiva ou intenção específica”. Ex.: representado por processos, modelos, informações úteis, um conjunto de regras, ou seja, é um conjunto de determinadas informações que levarão um indivíduo a tomar decisões, resolver problemas ou criar coisas novas, etc.

O conhecimento pode ser dividido em:

  • Tácito: aquele que não se expressa e está 'escondido'. Ex.: atividades realizadas por um cozinheiro ao fazer um bolo, ou seja, é o conhecimento pessoal que envolve as experiências do indivíduo com a de um grupo;
  • Explícito: aquele que é expresso e claro. Ex.: vídeo ensinando a fazer bolo, manuais, expressões matemáticas.

Esses conhecimentos se completam e quando compartilhados são responsáveis pela criação do conhecimento de uma organização.