De acordo com Nonaka e Takeuchi, uma empresa gera conhecimento através de uma espiral. Primeiro, ocorre a socialização: o conhecimento é pessoal, apenas compartilhado por um indivíduo, suas experiências e práticas. Depois, ocorre a externalização, quando um grupo começa a interagir e compartilhar conhecimentos. Após isso, há a combinação desses conceitos, ou seja, quando ele é transformado em procedimentos, manuais para ser transmitido para o resto da organização. Por último, a internalização: esse conhecimento é aumentado, estendido e aperfeiçoado. 

À medida que o ser humano adquire conhecimento, mais ele precisará de técnicas, estratégias, modelos para gerenciá-lo. Tome como exemplo, a fabricação de um bolo. Se eu não souber como fazê-lo, obtenho um bolo de massa fria, feia, imprópria para o consumo. Se não há a gerência daquilo que foi aprendido, é impossível ter algo satisfatório. Com a Gestão do Conhecimento, uma empresa estará apta a tomar melhores decisões em relação aos seus clientes, funcionários, concorrentes, logística dos produtos e ciclo de vida dos mesmos, saber identificar de onde vêm as fontes de informação, administração dos dados e das informações e gerenciamento do conhecimento.

Devido às mudanças que estão ocorrendo no mundo, na economia, na tecnologia e em outros campos, os avanços se tornaram tão intensos que somos interligados por uma rede. Não somente consumimos determinado pensamento, mas também somos produtores de conhecimento. O conhecimento passou da técnica, em que a informação se concentrava apenas na figura do líder, para a prática, em que o mesmo conhecimento poderia ser compartilhado para toda a equipe. Esse é um dos maiores desafios dessa gestão, pois é preciso mudar toda a cultura organizacional, ou seja, reeducar os funcionários, 'vestir a camisa da empresa', contratar gestores aptos a levar a ideia de seus superiores para todos os membros da organização e descobrir uma forma de classificar o conhecimento.

Para desenvolver sistemas desse tipo, é preciso focar no público externo, com estratégias de benchmarking, em ferramentas que facilitam a gestão, na gestão de performances e a gestão de pessoas.

Na Gestão do Conhecimento, o foco de empresas de sucesso está em agregar o conhecimento e divulgá-lo aos outros membros da organização. O segredo está em reconhecer o valor das pessoas e da empresa. Quando uma estratégia como essa funciona, maior agilidade e resultados são percebidos.

As fontes desse conhecimento podem ser:

  • A própria empresa;
  • Internet;
  • Livros;
  • Consultorias;
  • Universidades, etc.

O correto gerenciamento dessas fontes faz com que uma empresa comece a fazer diferença no mercado. A Gestão do Conhecimento trabalha também com o Capital Intelectual e a Tecnologia da Informação. Se houver um perfeito alinhamento dessas atividades a tendência é que haja a valorização dos princípios da empresa.